Parque Estadual Serra do Papagaio

Com uma área de 22.917 ha, o parque abrange os municípios de Aiuruoca, Alagoa, Itamonte, Pouso Alto e Baependi, estando inserido na APA da Mantiqueira.

Enviado por: Terra de Nhá Chica
www.terradenhachica.com

Pico do Papagaio – Aiuruoca-MG

O parque

Por suas características de geomorfologia, riqueza e diversidade biológica, a Serra do Papagaio abriga as principais fontes de água que alimentam as bacias hidrográficas dos rios Aiuruoca e Verde, contribuintes da bacia do Rio Grande. Somando estes atributos ambientais à sua beleza cênica, a FEAM criou a Estação Ecológica do Papagaio em 1990, transformada pelo IEF em Parque Estadual pelo Decreto Estadual nº 39.793, de cinco de agosto de 1998. O Parque Estadual da Serra do Papagaio, com uma área de 22.917 ha, localiza-se na região do rebordo ao norte do Maciço do Itatiaia, alto rio Grande, no sul de Minas Gerais, abrangendo os municípios de Aiuruoca, Alagoa, Itamonte, Pouso Alto e Baependi, estando inserido na APA da Mantiqueira.

www.terradenhachica.com

“Serra que Chora” – Baependi-MG

Com altitudes que variam entre 1200m e 2360m, o Parque possui áreas remanescentes de mata atlântica e campos de altitude, estando inserida na zona núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. A Serra do Papagaio, por estar situada no corredor sul da Mata Atlântica e por apresentar remanescentes florestais com alto grau de conectividade, representa uma importante matriz de espécies raras e endêmicas, sendo que muitos dos seus ecossistemas servem de abrigo para animais ameaçados de extinção como o papagaio-de-peito-roxo, o urubu-rei, a onça pintada, o macaco mono carvoeiro e o macaco sauá.

www.terradenhachica.com

Papagaio do Peito Roxo, Urubu Rei e Macaco Saua todos eles em extinção, mas ainda presentes no parque.

A região, formada pelas bacias hidrográficas dos rios Aiuruoca e Verde, caracteriza-se pela economia predominantemente, rural tradicional, pouco diversificada e baseada na agropecuária, com padrões de renda e produtividade relativamente baixos. A beleza e tranquilidade da região da Serra do Papagaio atraíram, nos últimos vinte anos, pessoas de origem predominantemente urbana que vieram viver ou instalar sítios de lazer. Embora exista uma mentalidade conservacionista, a subdivisão das fazendas em sítios e a construção de novas residências e meios de hospedagem sem planejamento vêm causando o adensamento populacional e construtivo, gerando um novo tipo de pressão sobre os ecossistemas locais e modificando a paisagem da região.

www.terradenhachica.com

Bairro da Piracicaba: localizado no município de Baependi, tem como principal fonte de renda o artesanato, pecuária leiteira e a agricultura.

O adensamento da ocupação humana e da visitação turística na região é uma tendência e uma realidade, e estes fatos, que se repetem por toda a região, trazem a necessidade premente de um planejamento ambiental e de um ordenamento territorial, a fim de garantir a integridade dos ecossistemas e da paisagem local, considerando-se sua inserção na APA da Mantiqueira, no interior e no entorno do Parque Estadual da Serra do Papagaio – PESP. Por outro lado, a falta de novas opções econômicas e de programas educacionais direcionados, ocasiona a manutenção de práticas tradicionais como as queimadas nos campos de altitude, a caça e a retirada de produtos florestais na região do parque e suas imediações.

www.terradenhachica.com

Com belas cachoeiras, o turismo ecológico se torna uma grande esperança para as comunidades do parque. Cachoeira do Caldeirão – Baependi-MG

A apresentação de novas alternativas econômicas para a região, voltadas para o turismo sustentável, e até mesmo para a produção e aproveitamento econômico de novas espécies vegetais tradicionalmente utilizadas, poderão motivar positivamente estas comunidades, criando um  entorno de proteção efetiva ao Parque. Este direcionamento poderá criar um ambiente favorável para a consolidação e ampliação dessas iniciativas, atendendo à necessidade urgente de gerar uma nova perspectiva, no processo de instalação da Unidade de Conservação, junto ‘as comunidades do entorno.

A aplicação das novas diretrizes de gestão ambiental em unidades de conservação por meio de parcerias têm, na região da Serra do Papagaio, um desafio, e uma oportunidade para viabilizar  alternativas de conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável em Minas Gerais.

A MATA ATLÂNTICA NA REGIÃO DO PARQUE

A região do Parque Estadual da Serra do Papagaio está inserida em um importante fragmento do bioma Mata Atlântica em transição para o bioma Cerrado, na Região sul do Estado. Suas características, localização geográfica, formas de relevo, sua origem e evolução têm contribuído para o processo de sua conservação in situ e adaptação química das espécies dos reinos: Vírus, Monera, Fungi, Stramenopila, Protista, Plantae e Animalia. Ressaltamos que a região do PESP ainda é habitat de espécies desconhecidas quanto a sua classificação sistemática e os seus conteúdos químico e genético e respectivas atividades biológicas de natureza alimentícia, medicinal, cosmética, etc.

www.terradenhachica.com

Araucária

O reino Plantae possui populações naturais de Bryophytas, Pteridophytas, Gymnospermaes e Angiospermaes em diversos ambientes: mata, mata ciliar, campo natural com mata galeria, campo natural de altitude rupestre, capoeira, entre outros. Há presença de uma fantástica composição florística em sucessão evolutiva para famílias de Angiospermas com tipos de hábito: árvores, árvores predominando sobre arbustos, árvores e arbustos, arbustos predominando sobre árvores, arbustos, arbustos predominando sobre ervas, arbustos e ervas, ervas predominando sobre arbustos e ervas. Agressões constantes, principalmente queimadas, têm colocado em risco este fragmento. Sua conservação não deve ser encarada apenas como uma questão ecológica, mas como uma atitude essencial à sobrevivência do ser humano. A natureza compartilha milhares de genes com o homem, podendo auxiliar na sua adaptação bioquímica aos ciclos de “complexa instabilidade” que virão em breve a partir da perda da camada de ozônio, das mudanças climáticas, do efeito estufa, da destruição das florestas, da contaminação dos rios, mares e da diminuição da biodiversidade. Hoje a Mata Atlântica encontra-se reduzida a menos de 10 de sua área inicial de domínio.

Saiba Mais: www.serradopapagaio.org.br / www.ief.mg.gov.br

Veja Também


COMENTÁRIOS

  1. Clarice Nascimento Lantelme Silva

    Gostei da matéria! Parabéns!E vamos arregaçar as mangas pra implantar este Parque com ‘diretrizes do futuro’ e muita participação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>